Ano novo, casas novas


Dentro de poucos dias, vou mudar novamente de casa. Desta vez não é para uma morada temporária (se podemos falar de definitivo nestas situações), mas para aquela que será o terminal de uma vida de malas às costas, carregando tralhas e pedacinhos de história, sem contar com as toneladas de lastro emocional.

Foi a perda desse lastro, acidental e cheia de intenções, que permitiu esta mudança. Mudo para a casa onde estará a minha família, e essa será sempre a principal, desatando laços com o passado, mesmo com o que de bom houve. 

2018 trouxe o início de toda uma nova perspectiva, e mesmo não estando a meio do caminho da minha vida sinto-me uma espécie de Dante nível avançado, que saiu da selva obscura directamente para o paraíso, sem passar pelo inferno ou pelo purgatório. Deve ser o complexo do bambu chinês -- estou na fase de crescimento rápido.

Por isso, a vida nova (para continuar na metáfora dantiana) traz espaço novo. Uma casa de janelas rasgadas para a varanda, de onde se vê o Tejo em todo o seu esplendor, cheia de luz e de possibilidades. Bem-vindos. Sentem-se, há espaço que dá para todos.

Comentários

  1. Entra com o pé direito menina e, sê feliz :-)

    Vou levar a varanda para casa eheheheh

    ResponderEliminar
  2. Felicidades nessa casa. Que seja um lar ☺ beijinho

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares